O TERRÍVEL MINISTÉRIO DO ENTRETENIMENTO INFANTIL


...e o povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se (Êxodo 32.6 - episódio do bezerro de ouro)

Quando o furacão do entretenimento gospel infantil arrasta você para dentro dele.

Entretenimento ou entretimento é qualquer ação, evento ou atividade com o fim de entreter e suscitar o interesse de uma audiência, deixava bem claro, A.B. Ferreira em seu Dicionário da Língua Portuguesa.

I. Objetivo sem a devida objetividade, em se tratando de Ministério com Crianças.

Entretenimento é a presença de uma audiência que torna qualquer atividade privada de recreação ou lazer mais em festa ou em festival. A ênfase é o prazer. A audiência pode ter um papel passivo, como quando se assiste a uma peça teatral, programa de televisão ou filme.

Entretenimento fica bem em qualquer área cujo objetivo é a satisfação que pode ser produzida sem qualquer princípio ou orientação da Palavra de Deus. Entretenimento nunca será produtivo quando o assunto é Bíblia e o ensino da Palavra de Deus às crianças.

II. Entretenimento pode ser um perigo e uma armadilha satânica.

Tudo que desviar seu foco e exigir sua atenção para detalhes externos como ambiente, enfeites, performance, é entretenimento.
Se você precisa falar de um modo diferente o tempo todo, mais para narradora de historinhas de disquinhos do que com naturalidade, seus pés começaram a andar pela trilha do mágico de Oz! Mais procurando conquistar coisas do que transmitir uma mensagem.

Sua voz é infantilizada?

É claro que existe uma forma de se comunicar com as crianças, mas quando a coisa é levada para o artificial ou a voz fica infantilizada, quando você fala mais com o tom de voz de Alice no país das Maravilhas, você não estará sendo você; não estará sendo natural e estará mais é introduzindo as crianças 'no país das maravilhas' do que na vida real.

Um dos perigos embutidos é que a criança tem duas formas de ouvir e intuitivamente prestará atenção com o ouvido da vez. Explico: tem o ouvido para se ouvir historinhas do faz-de-conta e tem o ouvido de ouvir a coisa séria e certa a se aprender para utilizar e fazer e isso passa indubitavelmente pela forma que você utiliza a sua voz. Entonações e pausas são uma coisa. Mas para o ensino certo que visa a retenção e o aprendizado (e não, o entretenimento) a forma não se infantiliza. Você não passa a ter cinco-anos-mimados! Ou você fala assim, o tempo todo? Claro que não! A criança também não escuta assim, o tempo todo

Falar a linguagem da Criança tem a ver com a capacidade de transmissão para sua compreensão de fatos do dia a dia e para a formação de um caráter que se desenvolve em santidade, de maneira que ela entenda o conceito que deva ter e manter para a vida e o princípio que deverá assimilar para poder decidir entre o certo de Deus - segundo a Palavra de Deus, e o errado ainda que venha disfarçado como bom.

Se tem que ter esse negócio de 'muita voz macia e melada' no contato com as crianças, isso soará até para elas como artificial, como algo que só deveria existir nos contos de fadas (...'era uma vez') e não na hora de se falar as verdades que dão vida, purificam e preservam!

Lembre-se, professor e professora de crianças: nenhum dos seu melhores professores do ensino fundamental que você teve e que lhe ensinaram Matemática, Ciências, Geografia de um modo que você reteve o ensinamento até hoje, falseavam a voz, eram melosos e melados na hora do ensino.

ENSINAR não é dar um show para a platéia, sendo uma espécie de Xuxa Gopel. Ensinar a Palavra de Deus é ser uma pessoa que transmite da melhor maneira possível o que aprendeu na Palavra e isto repassará com amor, consistência, santa segurança no que diz e com piedade.

III. Entretenimento é um passo mal dado em direção ao incentivo da Idolatria e seus derivados que culminam em ruína.

A maioria das pessoas que atua no Ministério Infantil nunca leu para si e como forma de aprendizado pessoal; nunca estudou com a devida atenção os livros históricos de 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas.

São livros reveladores de como muita gente tentou trazer o mundo para dentro do sistema da religião devida. Os males que toda essa agitação causou para o povo de Israel (e de Judá) foram incalculáveis e muitos deles irreversíveis, pois só se avançou mais ainda para a incredulidade e para a perdição. Milhares e milhares de pessoas que deveriam conhecer bem o Senhor, Sua santa Lei e manter a fé viva em Sua Pessoa, foram invadidas por ideias reluzentes dos cultos pagão à sua volta, as que tornavam o culto, a adoração e a prática de vida mais interessantes. Assim, um povo que deveria ser luz foi buscar ideias nas trevas e assim apagou-se um lindo testemunho. Não demorou muito e toda uma nação que deveria ser bênção, era maldição: houve mistura e houve mesmo associação com as coisas terríveis do mundo: adultério, fornicação, alienação, rebeldia sem volta e só com ida para o cativeiro.

O entretenimento em Israel e Judá produziu idolatria que é: qualquer coisa ou objeto no lugar de Deus. Qualquer atividade divertida, em lugar da análise séria do mundo a partir das orientações de Deus é Idolatria; é você ser, no final, aquele que decide o que é melhor e com deva viver, pois você comandará a forma do seu culto e a maneira de se cultuar.

Idolatria sim, ainda que muito bem disfarçada.

E se você, líder de Departamento Infantil, optar pelo entretenimento (disfarçado de ministério dinâmico e envolvente), você estará sendo mesmo é agente da ilusão: muita festa e muito espetáculo que será vazio, no final. Você não estará ensinando verdadeiramente a Palavra de Deus às crianças. Estará propondo para elas - na maioria das vezes - que a vida com Deus é do seu modo e do seu jeito, com uma 'boa pitada' de moralismo gospel ou de sentimentalismo religioso choroso, que nada produzirá de diferença, pois emocionalismo não tem raiz. Seus frutos serão aparentes; serão frutos de plástico!

Entretenimento é caminho para a idolatria, pois isso (preparar tudo, montar tudo, gastar um dinheirão com tudo isso...) é para você e para o seu ministério e também para você ter a glória para si.

Parâmetros:

Qualquer reunião que não leve a criança a refletir estudando a Palavra de Deus, ou tornando a Palavra de Deus meramente um pretexto para um show ou espetáculo, é pecado e é muito prejudicial.
Porque só fica o brilho,

Só se faz muito barulho,

Agitação que em nada tem a ver com o mover do Espírito!
Só fica o momento.
Só sobra uma espécie de showzinho.

Não houve de fato ENSINO DA PALAVRA.

Não se instruiu e edificou vidas. Entreteve-se, só, por um tempo.

Ensino que fica retido é o que deve ser repetido com sabedoria em progresso e em profundidade e ele só vem vem com a paciência, o acompanhamento, e o desenvolvimento percebido nos alunos. Se estamos ensinando a Bíblia, tenhamos perseverança e persistência em transmitir todo conceito de Deus e sobre o que Deus diz para o presente século. E isto demanda tempo em sábia inculcação.

É só com o ensino sistemático da Palavra de Deus que a maravilhosa semente vai entrando na mente, penetrando até a alma e e sendo guardada no coração da criança e produzirá frutos.

O que você precisa melhorar talvez seja a forma como você está repassando o ensino. Há muitas formas e maneiras criativas, que passam longe de ser entretenimento.

IV. E como eu saberei a diferença, pastor?

1. Orando. Pedindo a SABEDORIA do Alto para poder transmitir melhor o ensino, o princípio santo e seguro para a vida; transmitir a Palavra de Deus com tamanha clareza e paixão que será isso o que ficará retido na mente e aquecido no coração da criança e para isso, para se chegar a esse ponto, isso leva tempo e determinação pessoal; persistência no estudo da Palavra de Deus como você sabe que tem que ser e o acompanhamento regular da turminha, andando regularmente e passo a passo com a mesma. Ore a Deus para que você encontre meios e modos para tanto e Ele o fará: com beleza que marque vidas. Jó dizia: é Ele quem me inspira canções durante a noite! (Jó 35.10).

Ore a Deus, examinando os desejos do seu coração, se o que você faz e anda dedicando a sua vida está mais para show ou se para o desejo de ver as crianças aprendendo, entendendo e praticando a Palavra de Deus. O Espírito Santo de Deus que habita em você falará, confirmando a seu espírito o que deva ser feito, pois o Espírito faz isto com aqueles que realmente temem ao Senhor (confira: Rm 8.16).

2. Avaliando seriamente e sinceramente tudo o que lhe envolve no Ministério Infantil, pois Deus conhece os nossos corações - Quanto tempo você precisa e realmente gasta estudando a Bíblia X preparando as sua atividades. Tem mais ênfase (mesmo) nos detalhes e preocupações com as cores, os enfeites, vestimentas, lembrancinhas, musicais, performances... mesmo e no final? É mais isso o que toma e ocupa o seu tempo? Lhe dá um trabalhão, mas você acha que irá valer a pena e as crianças irão amar? Que pena. É este o seu secreto sentimento e sua total satisfação? Então, você está já com os dois pés, a cabeça e o coração na ilusória dinâmica do entretenimento.

3. Vendo o que realmente edifica e fica - shows e qualquer atividade que tenha por finalidade a criança e sua satisfação, tem brilho curto e precisará sempre de algo mais forte e mais intenso, da próxima vez. Produzir espetáculos não é fácil e gera muito cansaço. energia desperdiçada!

Mais uma vez, no tempo da Xuxa, Angélica, Eliana... toda uma equipe muito bem paga dedicava-se à exaustão para que o programa desse certo com um estressante ufa, no final. E isso aguçava concorrência e também disputas de EGO para ver quem fazia melhor, quem fez melhor, quem era ou é... a rainha?

Mas, e HOJE, com relação àqueles mega-programas?.. Por que não se repete mais tal fórmula? Por que todo e qualquer projeto como aqueles foi esquecido? Porque, no final, tudo se evaporava no calor do momento. Tudo aquilo ficou só no passado, como entretenimento.



4. Não perdendo tempo com isso e nem se perdendo nisso. Cuidado com o furacão do entretenimento gospel! Aqui no texto eu citei O Mágico de Oz.

Pois é: cuidado para você não ser uma especie de Dorothy, dentro de um furacão que só leva a Oz.

O mágico de Oz não muda corações, não dá coragem, não produz um cérebro que pense, no final das contas e para o dia a dia. As personagens do famoso filme queriam muito isso: o homem de lata, o leão e o espantalho, respectivamente.

Só quem dá tudo isso É DEUS!

E traz tudo isso em SUA PALAVRA!

É do ensino consistente, regular, bondoso e piedoso da Palavra de Deus que as crianças precisam.

...Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor; a Palavra de Senhor, porém, permanece eternamente ( 1 Pe 1.24,25).

Curso AnteriorUMA IDEIA PARA QUEM ESTIVER BATENDO À SUA PORTA NO HALLOWEEN.
Próximo CursoE se a sua Igreja ficar sem superintendente da Escola Bíblica Dominical?