A TOTAL FALTA DE VERGONHA NAS CRIANÇAS. O RISCO QUE SEU FILHO, SUA FILHA CORREM.

Parte 3 – A Educação Sexual das Crianças e a Igreja. 


Rev. Jáder Borges.

Seu filho, sua filha perderá completamente a vergonha.

1. ENTREGUES A UM ESTADO MENTAL REPROVÁVEL.

É o que lemos da real condição espiritual e moral da humanidade rebelde contra o Senhor, em Romanos 1.18 e seguintes. Por três vezes nessa sessão encontraremos as tristes conseqüências de se estar escravizado e totalmente dominado pelo pecado. (vide, Romanos 1.24;26;28).

Quando uma pessoa, uma sociedade ou um grupo (de estudantes, por exemplo) chega este ponto, de envolver-se totalmente com “aselgeia” e afundar-se nela, perde-se completamente a vergonha e a noção do pudor e da honra, passando a realizar qualquer ato deplorável e dos mais baixos, em público e no privado, a submeter-se às mais torpes vergonhas.

Aselgeia não é a perda de timidez, o que por um lado , até seria benéfico. Nada há de benéfico nesta palavra e tudo há de mais desprezível, nela. Quem for envolvido por suas garras não terá paz e sossego, um momento sequer. Esta forma deformada da mente dominada pela mais imunda expressão da sexualidade e sua prática (sim, sua prática em tais condições) tem levado pessoas ao desprezo próprio, à falta total de  vergonha na cara e às mais ignóbeis maneiras de comportar-se. A exposição ao ridículo, até, com as suas partes mais íntimas expostas, escancaradas e abusadas.

 2. O SISTEMA LEVA IMEDIATAMENTE À ASELGEIA.

Vão dizer que É ARTE, sendo a mais completa safadeza. Vão dizer que é “libertação, sendo a mais triste forma de uma pessoa perder a dignidade e ser escravizada. Esta condução  rápida de deformação está voltada para crianças em forma de [alguns] seriados, jogos eletrônicos, conversações e de incentivos de outras mentes já pervertidas. Vêm de certos youtubers “ensinando  como é que faz”, entre outras maneiras.

Não se enganem!

Esta palavra representa A MAIS FEIA das listas de pecados no Novo Testamento. A que mais arrasa vidas, mortalmente falando. A pessoa consumida por ela, nunca terá paz e sempre terá maldades e sujeiras na mente, escorrendo pelo corpo, como se o corpo inteiro cheirasse mal, coberto por vômito ou fezes e o olfato já tivesse perdido completamente a sua função por acostumar-se com “isso”.

Poxa, é tão sério e grave assim?

É.

O corpo inteiro repercutindo essas sujeiras de uma mente transbordante delas.

O que é extremamente perigoso é que a falta total de noção do perigo e de pudor na vida, está começando cada vez mais cedo. Sabe-se de casos de meninos de 10;12 anos estuprando crianças menores, porque já estão totalmente escravos desta carnalidade. Em São Paulo uma criança de 9 anos precisou ser internada para tratamento e acompanhamento psiquiátrico com medicação tal, porque não dormia mais. Descobrira a pornografia em uma coleção escondida de videocassetes (perceba o tempo) de seu tio e passava a madrugada assistindo, até não resistir mais e adoecer gravemente.

3. A BÍBLIA ADVERTE CONTRA A ESCRAVIDÃO MORAL SEXUAL DEPRAVADA.

É bom cada pai, cada mãe, cada professor de EBD ler e estudar bem os seguintes versos onde ela aparece:

Marcos 7.22; 2 Coríntios 12.21; Gálatas 5.19; Efésios 4.19; 1 Pedro 4.3; Judas 4; Romanos 13.13; 2 Pedro 2.2;7;18.

Nos dias de Platão a palavra já era usada como: disposição para toda forma sem limites do que chamam de prazeres, mas que viciam e deformam. Nos dias de Josefo dizia-se que aselgeia conduzia à loucura. Ligam-na à manias, as mais torpes e desprezíveis.

Nesses empós maus, principalmente meninas têm afundado rapidamente no pântano da aselgeia, sendo submetidas pelas próprias ‘amigas’ a certos tipos de comportamento e práticas com os namoros precoces e práticas sexuais ‘com qualquer um’ ou com ‘o da vez’, já envolvimentos comprometedores com riscos tremendos de divulgações de fotos nas redes sociais. Nos Estados Unidos um problema envolvendo menores entre 13 e 14 anos.

Aselgeia é uma palavra repugnanteE ela será uma rede, literalmente e extensivamente contra a sua criança, se você não cuidar.

4. O que fazer?

A. Pais.

1.   1. Não cedam às pressões dos seus filhos para ingressarem logo nas redes sociais. Há limitação legal de idade. Respeite a lei.

2.   2. Não deem celulares às crianças, a não ser os modelos mais simples e por motivos totais de segurança para avisos e comunicações, sobre: ‘cheguei’, ‘vou te buscar’, ‘estou esperando’, etc.

3   3. Se os filhos tiverem celular, zap e redes sociais: participem como pais em todos os grupos. Seu filho, sua filha, poderá não gostar. Mas você é o maior responsável por ele/ela e eles têm que compreender e respeitar isso. Até que eles estejam seguros e bem informados, que tenham consciência da santidade, sempre estejam por perto. Autonomia não significa “fazer livremente o que se quer”. A própria palavra, junção de duas, na realidade) significa: aquela pessoa que já tem (autos; o eu próprio) uma lei (boa e segura condução dentro de padrões justos; noumos) na mente que sabe como agir pelo que é certo.

4. 4. Conversas certas, apropriadas e devidas.

5. 5. Conheçam sim e saibam muito bem quais são as amizades  (todas!) de seus filhos e filhas. Use da sua experiência de vida para saber, não precipitadamente, mas por intuição prática vivida que “fulano; fulana”, não prestam.

6 6. Leiam mais sobre a vida sexual saudável de uma pessoa. Há bons livros no mercado e, preventiva e paulatinamente, vá orientando.

7. 7. Muito cuidado com “festas de 1’5 anos”, algumas viraram definitivamente bacanais, com bebidas e práticas reprováveis de comportamento.

8. 8. Não deixem os seus filhos e filhas irem dormir na casa das pessoas sem vocês conhecerem muito bem a condição moral e espiritual da família. Melhor que venham à sua casa (e com restrições de vezes e regularidade) do que o contrário, com vocês por perto. 

9.9. Não deixem os filhos na internet ou TV, vendo séries à hora que quiserem. E saibam “que série é essa”, até leiam comentários à respeito.

1  Lembrem-se: vocês pais são autoridades sobre os filhos e devem colocar a casa em ordem, em amor, o que implica sábia firmeza, limites precisos e preciosos e santa condução.

B. Igreja:

1.Pregações expositivas sobre esses tempos maus. Abordagem de temas para apoio nesses dias perversos. Orientem as famílias com a Palavra de Deus.

2.Nos devidos grupos de idades afins (pré-adolescentes, adolescentes e jovens), conquistar a confiança e a amizade da turma. Tratar paulatinamente e preventivamente sobre determinados assuntos, avisando toda a informação da Palavra de Deus.

3.Promover reunião de oração com os pais: dias e horários marcados “como antigamente”. Pais que oram de joelhos os filhos ficam de pé, é o que dizem e se comprova em milhares de vidas.

4.Salas de aulas para pais com temas referentes às idades dos filhos. Um tipo “pais com classe”. Classe de EBD que estuda o empo e o momento, abastecendo pais com a santa e preciosa Palavra de Deus (Sl 119.105; Hb 4.12).

5.Promover cursos na Igreja sobre os desafios da vida jovem nesses dias maus. Congressos e treinamentos, mais. Oferecer o que for de melhor nesta área para os pais.

6.Facilitar indicação de livros aos membros.

7.Ter um grupo de pais no whatsapp.

8.Em ocasiões oportunas, em sala de aulas ou acampamentos, dividir em grupos (rapazes e moças) e abordar assuntos à luz da Palavra de Deus, sempre cuidando para que os preletores sejam pessoas com capacidade e conhecimento de causa e facilidade de comunicação prática e bíblica.

Assim, poderemos estar protegendo a mente e os corações dos nossos filhos. Todo cuidado não é pouco contra os malefícios – alguns irreversíveis – da aselgeia.


 

Estudos anteriores:

# Estudo 01 http://www.ministeriopequenospassos.com.br/Home/BlogCompleto/47

# Estudo 02 http://www.ministeriopequenospassos.com.br/Home/BlogCompleto/48

 

Curso Anterior# 02. ADOÇÃO, QUE ANNE EXPERIMENTOU E NÓS, TAMBÉM!
Próximo Curso#04 O QUE SIGNIFICA FAZER PARTE DA FAMÍLIA DE DEUS? - Adoção